10 de xuño de 2017

PATRIMONIO

Forte de Belém ou de Arâo (Valença do Minho)    

Forte de Belém ou de Arâo

ENCONTROS  POLIORCETICOS  

 Com coordenadas de N 42º 0’ 2.7792’’ e  W 8º 38’ 55.8132’’, a quase 3 Qms da Fortaleza de Valença, 1,48 qm. do Forte da Gandra, 2,15 qms. de Sam Luis Gonzaga e 890 metros da margem do rio Minho, este forte, construido em torróm em 1658, ergue-se no marco da ofensiva castelhana sobre a planície valenciana, já em 1657. Será ocupado polos espanhóis e reocupado polos portugueses em 1661. 




 A análise planimétrica deste posto fala dum Polígono Externo de 6 pontas de 300 metros, juntando-se-lhe um Perímetro Externo de outros 300 m. que incluem fossos e caminho coberto. Tem um pequeno sainte que semelha um revelim do lado Suleste de 35 metros nos seus três laterais. Três entrepontas de 78 m., 68 m. e 75 m. definem um plano e um cruzamento de linhas a determinar ángulos flanqueados em  estrela. O resultado a vista de pássaro revela umha regularidade suficiente e um desenho de aparato que segue os canons seiscentistas. As angulaçons revelam em termos gerais boas congruências. 

Parque empresarial

 Na realidade trata-se de dous grandes triángulos de 186 m. (pontas Noreste, Sureste e Oeste) e 188 m. (pontas Noroeste, Leste e Suroeste) a formarem umha superficie que, junto de fossos e caminhos cobertos perfai os 4.000 m2. O seu recinto interno regista os 940 m2 quadrados. Porém, será justo fazer alusom a áreas mais apuradas, cingidas aos “muros” de  torróm, oferecendo com efeito superficies de mais de 2.000 m2 quadrados e um perímetro sujeito a uma exactidom de uns 240 m. As diferenças radicam na largura dos fossos (de entre 4, 5 e 6 metros). 

 O Forte de Belém está “Ao Deus dará”, sendo por isso que Encontros Poliorcéticos fai um peditório formal para a sua preservaçom e dignificaçom, mercê dumha sinalética apropriada e da concretizaçom dumha verdadeira classificaçom que evite a sua queda nos tempos mortos de sempre.

R.P.I.

Ningún comentario: