27 de xuño de 2017

CAMINHA

CÂMARA ABRE CONCURSO DE MAIS DE MEIO MILHÃO DE EUROS PARA A DEFESA DA FLORESTA DO CONCELHO

Executivo aposta na prevenção e já tem candidatura aprovada para uma área superior a 315 hectares

Garranos na Serra D`Arga

Infogauda / Caminha

 A prevenção da floresta contra incêndios é um assunto prioritário para o executivo caminhense. O município conseguiu para o concelho mais de meio milhão de euros, a aplicar na defesa da floresta, através da aprovação da candidatura de execução “Rede de Defesa da Floresta Contra Incêndios do Concelho de Caminha”, cujo concurso se encontra em fase de abertura. Guilherme Lagido assegura que este concurso é de extrema importância para o concelho: “a abertura deste concurso é um investimento considerável na rede primária e secundária e vai permitir melhorar a nossa capacidade de reação em caso de catástrofe”. Esta empreitada, florestal, orçada em €577.098,92, é financiada pelo POSEUR e consiste na instalação de rede primária e rede secundária de gestão de combustíveis em várias freguesias do concelho, numa área de 315,52 hectares.   

 A abertura do procedimento para o concurso público para execução da Rede de Defesa de Florestas Contra Incêndios foi uma das propostas aprovadas na última reunião de Câmara. Este projeto orçado em €577.098,92 é cofinanciado em 85% pelo Fundo de Coesão, sendo os restantes 15% autofinanciados pelo Município de Caminha.   

 Esta operação consiste na execução de faixas de gestão de combustíveis – primária e secundária – planeadas em sede de PMDFCI, com uma abrangência municipal com vista à minimização dos efeitos da passagem dos incêndios florestais. Assim, pretende-se: aumentar a resiliência do território florestal ao risco de incêndio florestal; diminuir a área percorrida por grandes incêndios florestais; criar oportunidades de apoio ao combate a eventuais incêndios florestais; alterar o regime de fogo do concelho e, ainda a recuperação silvopastoril do território, que se reveste de enorme importância para as populações de montanha.   

 Sobre a importância deste investimento nas florestas do concelho, o vice-presidente da Câmara sublinhou: “trata-se de um investimento extremamente importante. O risco de incêndio é fortemente reduzido se for atacado na primeira hora. Por isso, são fundamentais os acessos e é fundamental ter uma rede de circulação que permita este tipo de acessibilidade”.   

 Esta empreitada florestal visa executar a instalação de 89,37 hectares de Rede Primária de faixas de gestão de combustível e 226,15 hectares de rede secundária em terrenos baldios e da propriedade das juntas de freguesia. As freguesias abrangidas são: freguesia de Arga (Arga de São João, Arga de Cima e Arga de Baixo), Lanhelas, Seixas, Vilar de Mouros, Argela, Dem, freguesia de Gondar e Orbacém, Riba de Âncora, Âncora, Azevedo, Vilarelho e Vila Praia de Âncora.   

 As intervenções a realizar consistem na execução de trabalhos florestais de corte e controlo do estrato arbustivo e herbáceo; corte e desbaste de povoamentos florestais para correção de densidades, desramações e podas, acordoamento e trituração de despojos e controlo/erradicação de espécies infestantes, caso da hakea e da acácia dealbata, de modo a evitar a propagação de incêndios florestais e para reforçar as condições de segurança das forças de combate.   

 Recorda-se que esta candidatura foi submetida e aprovada no âmbito do Concurso POSEUR – 10 – 12 - 2016 – do Programa Operacional da Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos, com o eixo prioritário promover a adaptação às alterações climáticas e a prevenção e gestão de riscos.

Ningún comentario: